#6 COVID-19: SÃO PAULO entra em quarentena a partir de terça-fera (24)

O governador João Doria (PSDB) afirmou na tarde deste sábado (21) que irá determinar quarentena, pelo período de 15 dias, a partir da próxima terça-feira (24) até o dia 7 de abril, para os 645 municípios do estado de São Paulo.

A medida obriga o fechamento do comércio e mantém apenas os serviços essenciais, como nas área de Saúde e Segurança. A publicação do decreto será feita no Diário Oficial do estado.

Poderão continuar funcionando

  • Hospitais, clínicas, farmácias e clínicas odontológicas;
  • Transporte público;
  • Transportadoras e armazéns;
  • Empresas de telemarketing;
  • Petshops;
  • Deliverys;
  • Supermercados, mercados e padarias;
  • Limpeza pública;
  • Postos de combustível.

Terão de fechar as portas

  • Bares;
  • Restaurantes;
  • Cafés.

“A partir da próxima terça-feira, 24 de abril, nós decretamos quarentena aos 645 municípios do estado de São Paulo por 15 dias, a partir do dia 24 de março até o dia 7 de abril. Isso implica na determinação, na obrigação, do fechamento de todo o comércio e serviços não essenciais à população em todo o estado de São Paulo pelo período de 15 dias, começando no dia 24 de março, terça-feira, até o dia 7 de abril. Esta medida poderá ser renovada, estendida ou suprimida se houver necessidade, mas ela faz parte das informações que nós temos embasadas da Secretaria de Saúde e do Centro de Controle do Covid-19”, afirmou Doria durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul de São Paulo.

Os hospitais, clínicas, farmácias e clínicas odontológicas, públicas ou privadas, terão o funcionamento normal.

As transportadoras, armazéns, serviços de transporte público, serviços de call center, pet shop, bancas de jornais, táxis e aplicativos continuam funcionando com as orientações dos sanitaristas. O serviço de Segurança Pública, tanto estadual, quanto municipais, continuam funcionando normalmente. Os bancos e lotéricas também continuam abertos. As indústrias devem continuam operando, já que não têm atendimento ao público em geral.

“Quero esclarecer também que os serviços essenciais nas áreas de saúde pública, alimentação, abastecimento, segurança e limpeza deverão seguir funcionando”, ressaltou o governador. “Todo o sistema de segurança pública e segurança privada continuam a operar normalmente. Por óbvio, nos seus municípios, as guardas municipais, no âmbito do estado: polícia militar, polícia civil, corpo de bombeiros, sistema prisional, polícia científica, todo o funcionamento regular. E, vocês já sabem, nós já suspendemos férias e licenças, para que este setor essencial, no momento de dificuldade, siga funcionando regularmente”, disse.

Já os bares e restaurantes devem fechar e só poderão atender delivery. A medida também afeta as padarias de todo o estado que trabalham com refeições. “As ações de bares, restaurantes, similares, assim como a parte de alimentação preparada das padarias sofrerão neste período de coronavírus, obviamente, uma transformação. O uso de delivery é uma forma criativa de seguirem funcionando e manterem os empregos de seus profissionais.”

De acordo com o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), na terça (24) será publicado um decreto municipal para orientar os fiscais como devem agir na fiscalização dos estabelecimentos.

Thais

Comentários

vinte − 5 =

Pular para o conteúdo